Curiosidades do sono

Aprenda a dormir de forma inteligente!

07/07/14


Preocupado porque você não consegue dormir as oito horas por noite recomendadas pelos especialistas? Este é o seu primeiro erro, garante o médico especializado em sono Nerina Ramlakhan, autor do livro "Tired but Wired" (algo como "Cansado, porém atento"). No livro, ele derruba alguns mitos e defende que a qualidade do sono conta mais do que as horas dormidas.

Confira as dicas que estão no livro:

Dieta:

Não comer antes de se deitar é menos importante do que você pensa: o que é primordial é o seu café-da-manhã. Comer nas condições de tempo corretas faz com que o seu metabolismo se acostume a acordar e a relaxar.

- É um erro acreditar que você não pode comer antes de dormir, ou que atum e alface vão melhorar seu sono. O mais importante é que o seu café-da-manhã seja a primeira coisa da sua manhã, no que chamamos de "janela metabólica". É nesta hora que você transmite ao seu corpo uma informação importante, comunicando que aquele tanto de comida é adequado àquela hora, que o seu corpo pode relaxar, e que poderá voltar a dormir quando sentir necessidade - explica Ramlakhan.

Duração:

Uma das frases mais famosas de Margaret Thatcher era a de que ela só precisava de quatro horas de sono por dia. A declaração só serve para confirmar que há um padrão de horas que deve servir para toda a população.

- Na minha experiência, tudo se resume a estar em sintonia com as suas necessidades nas diferentes épocas da sua vida. Jogadores de futebol profissionais que treinam duas vezes por dia precisam descansar mais do que os sedentários. Há também vezes em que você precisa de quatro horas de sono. Outras, em que você precisa de sete. Tudo vai depender de você estar atento às suas necessidades - defende o especialista.

Soneca:

Uma soneca pode ser mais revigorante do que muitas horas dormidas à noite, porque ajuda a relaxar, mesmo que você não caia num sono profundo. Tem um efeito revigorante no corpo e a soneca pode deixá-lo mais bem preparado num momento de maior estresse.

Lugares e barulhos:

Os humanos, instintivamente, têm a necessidade de se sentirem seguros antes de dormir.

- Alguns barulhos não incomodam se você não for um dorminhoco sensível. Mas se for, há várias opções: use cortinas que isolem bem os sons externos ou opte por tampões de ouvido. É tudo uma questão de reduzir as distrações e enviar uma mensagem para o cérebro de que se está seguro.

Exercício:

Acerte na dose. Se você só descansa, se torna uma pessoa letárgica. Se se exercita demais provoca fadiga muscular. Antes de passar oito horas em frente a um computador, certifique-se de que o seu corpo está pronto para encarar este momento. O exercício também produz endorfina.

- A endorfina auxilia na produção de uma complexa conexão de hormônios, como a adenosina e a melatonina, que nos ajuda a relaxar e dormir depois de um dia exaustivo - completa Ramlakhan.